Livro 1822 – Laurentino Gomes

Livro 1822
Autor: Laurentino Gomes
Páginas: 328
Editora: Nova Fronteira
Tempo de leitura: 11 dias
Sinopse: Como um homem sábio, uma princesa triste e um escocês louco pro dinheiro, ajudaram D. Pedro a criar o Brasil – Um país que tinha tudo para dar errado. Um livro que desvenda os acontecimentos históricos com uma metodologia sem falhar e que se lê com um sorriso nos lábios. O livro 1822 pretende mostrar que país era este que a corte de D. João deixava para trás ao retornar a Lisboa, em 1821. Vai falar do Grito do Ipiranga, das enormes dificuldades do Primeiro Reinado, da abdicação de D. Pedro, em 1831, sua volta a Portugal para enfrentar o irmão, D. Miguel, que havia usurpado o trono, e a morte em 1834.

Ansiosa para o Livro 1822

Assim que terminei o livro 1808, eu precisava desesperadamente de mais livros do tema. E, para a minha sorte, o Laurentino Gomes, havia divulgado que já estava finalizando seu novo livro 1822.

Seu lançamento seria na semana do 7 de setembro, eu fiz de tudo para comprar logo, e na pré-venda, mas eu me arrependi, pois demorou muito para chegar e o livro já estava nas livrarias :-(. E eu ia ter que esperar até tê-lo em mãos.

Eu nem achava que fosse escrever tanto sobre o livro 1822, mas quando você começa com o assunto você não consegue parar de digitar.

livro 1822Quando enfim essa preciosidade chegou, não pude deixar de admirar a capa que é muito bela gente… esse vermelho e o título dourado. E, como o 1808, esse também conta com os capítulos intercalados por ilustrações de fatos e personagens da época.

Quando estava para lançar em todo lugar era exibida em uma capa verde (o que também era interessante), e quando na semana de lançamento o autor divulgou essa eu quase morri… linda d+++++, e os marcadores do livro seguindo esse estilo das capas também ficou perfeito!

Minha opinião sobre o livro 1822

Ele começa mais devagar que o livro 1808, mas já encanta pela riqueza de detalhes, o processo de narrativa de Laurentino e as suas pequisas/bibliografia… Você fica enlouquecido com tanta informação.

Queria tanto ter a oportunidade de ler essas pesquisas, chegar próxima, verificar cada uma dessas obras que ele teve acesso e os lugares também. Eu fico sempre fazendo anotações mentais, para quando eu for passar em algum dos lugares citados no livro (que são próximos de onde eu trabalho), eu possa aproveitar e apreciar o valor histórico do local.

Ainda no início de 1822, eu já estava emocionada lendo as palavras de D. Pedro sobre o Brasil. Ele era muito jovem, e nem era nascido aqui, mas não restavam dúvidas no quanto ele estava comprometido com o país.

E ler isso, em um ano de eleições, é algo muito mais intenso, que faz cada um de nós refletir. Eu adoro história por isso. Gosto de saber o motivo de cada coisa ter existido/acontecido, e isso só é possível lendo o que esses homens do passado fizeram, lendo o que os historiadores da época contaram.

Porém, como é citado também no livro, a história é em sua maioria contada pelos ‘vencedores’, e modificada pelo que estiver com mais poder no momento. Infelizmente nada podemos fazer sobre isso, pois a máquina do tempo ainda não se tornou pública rs.

Outras passagens que fazem eu ter um frio na barriga, são aquelas que o evento é idealizado, mas não pode ser concretizado, mas futuramente acaba acontecendo. O exemplo é o estudo desde essa época da transferência da capital do Brasil, para algum estado no centro-oeste.

Não entendo o motivo de meus olhos encherem de lágrimas com isso, mas aconteceu. E se contar que estamos falando de 1821, 1822, e isso só acabou concretizando em 1960. É ou não interessante? Ou será que vão achar que são um bando de preguiçosos?

Não somente política que o livro descreve… também podemos conhecer o lado mais humano de D. Pedro (o que fez eu perder um pouco do meu respeito por ele), sua relação com os amigos, aliados políticos, também sobre a maçonaria, suas esposas, amantes. Mas digo que é tudo muito interessante. Deveriam ter mais páginas para algo ainda mais aprofundado, mas acredito que seja para isso que ele detalhe tão perfeitamente suas pesquisas.

Deveria ser uma obrigação todos lerem sobre a história do país (bem na verdade é, mas na escola é tão boring, não? E é contada daquela forma pincelada e como se nós fossemos todos idiotas, os portugueses idem etc rs). E mesmo lendo bastante, sempre descobrimos que nada sabemos.

No momento da despedida de D. Pedro I do Brasil é de cortar o coração, eu chorei igual uma doida.. juro para vocês. Pois documenta a reação do pequeno D. Pedro II de 5 aninhos (e eu fiquei imaginando né..), e ele escreve uma carta tão fofinha, e pede uma mecha do cabelo do pai (fofura, não?), e eu acabei chorando ainda mais. Tadinho o menino uma criança, órfão de mãe, sendo deixado em um país ainda bruto desse como o nosso, e com a responsabilidade de ser o novo Imperador?

E quando eu falo sobre o lado que menos gostei do D. Pedro, é quando descreve a vida da Imperatriz Leopoldina (que eu preciso urgentemente de um livro sobre ela). Alguém me explica o motivo dessas mulheres terem que sofrer tanto? E o jeito mulherengo de nosso 1º imperador lembrou muito do rei da Inglaterra Henrique VIII.

Mas independente da parte sentimental… D. Pedro I fez muito mais.. não acertou em todas (afinal ele é humano)… mas só pelo fato dele nunca ter desistido.. era sempre o 1º a acordar e o último a dormir fez ter o meu respeito. Até o fim da vida… ele buscou fazer por onde.. e sinceramente hoje em dia não vemos nem metade disso por ai.

Ahh agora cheguei a um pequeno problema, quero ler sobre D. Pedro II, sr. Laurentino Gomes!!!!

[contextly_sidebar id=”TW9agi1MDzcIq6ccnNdrYrRuyMnfUQTk”]

Click Here to Leave a Comment Below

TOP